Agachamento. Erros mais comuns

O agachamento é um exercício composto que utiliza uma grande quantidade de músculos, estimula reações hormonais bastante importantes para o desenvolvimento muscular e que desgasta uma grande quantidade de calorias indispensáveis em processos de perda de peso.

Ainda me recordo, e não foi assim há tanto tempo, como o agachamento não era propriamente o exercício mais consensual entre praticantes e treinadores. Era um exercício carregado de mitos e que as mulheres fugiam a sete pés.

Apenas o tempo e os resultados da sua prática conseguiram mudar este pensamento, sendo hoje a ferramenta escolhida especialmente por muitas mulheres para terem coxas e glúteos firmes e delineadas.

O agachamento é um exercício composto que utiliza uma grande quantidade de músculos, que estimula reacções hormonais bastante importantes para o desenvolvimento muscular e que desgasta uma grande quantidade de calorias indispensáveis em processos de perda de peso. É, por isso, um exercício tão importante no treino.

Por ser um exercício composto a sua técnica pode revelar-se mais complexa. Hoje deixo-vos alguns dos erros que mais observo no agachamento

1 - Não descer o suficiente

Não sou fundamentalista, nem defendo que devemos descer até ao ponto em que quase encostamos os glúteos aos calcanhares. Defendo sim, que devemos conseguir pelo menos descer até à linha paralela com as nossas coxas.

Simplesmente por achar que aos descermos até este ponto, estamos a envolver mais músculos na realização do agachamento, tornando-o mais completo e usufruindo mais dos seus benefícios.

Se por acaso tem dificuldade corporal em conseguir descer, pode sofrer de pouca flexibilidade articular, e ou alongamento muscular, como era o meu caso. Uma das soluções é trabalhar mobilidade e flexibilidade.

2 - Orientar os joelhos para dentro

Este é um erro muito comum quando ainda não domina completamente a técnica, ou quando a carga utilizada está um pouco acima das suas capacidades, encontrando-se a sacrificar a técnica. Quando se coloca na posição para realizar o exercício, evite orientar os pés para a frente.

Prefira orientar a ponta dos pés para fora, deixando os joelhos naturalmente se afastarem um do outro quando desce. Na subida, concentre a força nos calcanhares.

Uma outra solução é utilizar a variante agachamento tipo sumo, que tem uma técnica ligeiramente diferente e que previne este erro.

3 - Enrolar as costas

É muito comum ao realizar o agachamento, deixarmos as costas enrolarem, deixando o tronco cair para a frente.

Uma simples alteração no olhar pode corrigir este erro. Tente olhar para a frente e veja como a postura do seu tronco se altera. Estique o peito para fora. Esta é também uma forma de corrigir o erro.

Fortalecer a zona lombar realizando alguns exercícios específicos como o peso morto ou os bons dias também se revela bastante eficiente para corrigir este problema.

4 - Pouca/muita carga

Qualquer um dos pólos representa na minha opinião um erro.

Se é adepto de subir as cargas para tirar o maior rendimento do agachamento e com isso sacrifica alguns pontos importantes da técnica como a amplitude de descida ou a forma do exercício está a cometer um erro. Além de se poder lesionar, não está a aproveitar o potencial de trabalho muscular.

Se por outro lado, ainda olha para os pesos com desconfiança e está a realizar o agachamento com menos carga que consegue, também está a cometer um erro.

Se consegue chegar ao final da sua série de forma tranquila, é sinal que ainda não está a dar o melhor de si. Desta forma não está a aproveitar o potencial de desgaste calórico, nem de resposta hormonal que este exercício proporciona.

Fonte: www.webrun.com.br