Treino de musculação deve ser lento ou rápido?

Pesquisas que defendem séries de musculação tão rápidas quanto possível causam polémica em ginásios.

Especialistas brasileiros em exercícios estão alcançando reconhecimento internacional com pesquisas originais sobre a melhor forma de fazer ginástica e queimar calorias.

As últimas recomendações de pesquisadores da Universidade de Harvard: Os exercícios devem ser intensos para alcançar o melhor condicionamento físico. Não importa se a escolha é correr ou andar ou fazer musculação. O melhor resultado é alcançado com o exercício intenso, aquele que deixa a pessoa quase sem fôlego.

Esta tese sobre o gasto metabólico e cardiovascular da prática de musculação pretende fazer uma revolução nos ginásios.

Um simples exercício abdominal pode até dobrar a potência quando executado com o dobro da velocidade e trabalhar mais fibras musculares.

A pesquisa comprovou que duas séries de seis repetições, feitas tão rapidamente quanto possível, dão mais resultados que uma série contínua de 12 repetições feitas vagarosamente. Com movimentos rápidos e poucas repetições, o atleta ganha potência muscular e, fica menos tempo no ginásio.

Para outros professores a musculação de alta velocidade é boa para atletas desenvolverem a potência muscular, mas boa parte dos alunos não faz musculação com esse objectivo. Eles querem aumentar a massa muscular e desenvolver a força. A variável nesse caso não será a velocidade, mas a carga que ele vai utilizar.

Os alunos têm dificuldade para controlar os movimentos em movimentos em alta velocidade, principalmente no início e no final do exercício. Nesses casos, os riscos associados a lesões aumentam muito.

Ele rejeita, porém, os exercícios de muita carga feitos com a menor velocidade possível, o ritmo conhecido como superslow, já comprovado cientificamente como um treino ineficaz.

A alta velocidade é também recomendada para exercícios aeróbicos pelo American College of Sport Medicine (ACSM). Pesquisas mostram que uma corrida de 20 minutos na passadeira (esteira) com a capacidade máxima do aluno dá mais resultado para a melhoria do condicionamento cardiovascular que uma corrida mais lenta de 40 minutos.

Fonte: www.o2porminuto.ativo.com